Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Serpro e DF-JUG firmam parceria

Notícias

Serpro e DF-JUG firmam parceria

Inclusão Digital e empregabilidade. Esses são os objetivos do Acordo de Cooperação Técnica entre o Serpro e o Grupo de Usuários Java - DF-JUG, assinado no fim da tarde, desta última quinta-feira, 24.
O Acordo tem a intenção de estabelecer cooperação no desenvolvimento de ações educacionais e o intercâmbio de conhecimento entre as instituições. A assinatura foi realizada na Sede da empresa, pelo diretor-presidente do Serpro, Marcos Mazoni, e Daniel Alves de Oliveira Junior, presidente do DF-JUG.

O objeto do Acordo tem como foco principal aprimorar a utilização dos telecentros mantidos pelo Programa de Inclusão Digital do Serpro - PSID, com a oferta gratuita de treinamento e capacitação profissional para as comunidades. "Essa parceria é fundamental para o melhor uso dos espaços de inclusão digital, na medida que os telecentros poderão oferecer mais conteúdo e, consequentemente, apropriação do conhecimento tecnológico e geração de emprego e renda", afirmou Mazoni.

DF-JUG
O Grupo de Usuários Java do Distrito Federal está em atuação em Brasília, desde 1998, e objetiva disseminar a plataforma Java, criando um "pool" de talentos e uma boa referência de preparação técnica e formação de profissionais (Java Resource Center). O Grupo dedica-se, principalmente, a formação de jovens e adolescentes de baixa renda.

Daniel Junior explica que o DF-JUG nasceu com um viés educacional, por isso, oferece um curso completo em engenharia de software, desenvolvido na Universidade das Filipinas, com mais de 700h de capacitação, divididas em nove módulos. "A associação do DF-JUG com o parque de telecentros do Serpro é um sonho realizado. É gratificante saber que poderemos alcançar um número expressivo de pessoas ao mesmo tempo, devido a capilaridade do PSID", declarou Junior.

No Brasil, mais de 39 mil pessoas já completaram o curso oferecido pelos diversos grupos de usuários Java do país e no exterior a iniciativa soma mais de 200 mil alunos. O coordenador de inclusão digital do Serpro, Luiz Cláudio Mesquita, ressaltou as características de adesão ao programa, como primordiais para a socialização das comunidades, uma vez que qualquer pessoa pode participar e desde o primeiro módulo do curso os alunos estão preparados para atuar no mercado de trabalho.

O coordenador de responsabilidade social e cidadania do Serpro, Dilson José dos Santos, explicou que no primeiro momento três telecentros receberão o curso de Java, como pilotos do projeto. Imediatamente após a finalização desse processo, todas as unidades de inclusão digital instaladas pelo Serpro terão a oportunidade de aderir ao projeto de capacitação profissional.

Brasília - 25/9/2009