Notícias

Notícias

Edição 238

Motorista já pode tirar CNH que contém QR Code

por Vanessa Borges — 18 de maio de 2017
Desde o início de maio, Denatran disponibiliza a nova versão da carteira criada com suporte do Lince, tecnologia Serpro que permite imprimir QR Codes na CNH, para agilizar acesso a dados do condutor e evitar falsificações
imagem icone.jpg

O QR Code faz parte da rotina de muitas pessoas mundo afora. No Brasil, o código de barras bidimensional está presente em panfletos publicitários, rótulos de produtos, páginas da web. Atento à tecnologia, que pode ser lida pela maioria dos celulares modernos, o governo brasileiro disponibilizou, neste mês, a novidade na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Desenvolvida pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), a ferramenta Lince, que cria o QR Code impresso na CNH, traz vantagens para agentes de trânsito e motoristas, ao ser capaz de “enxergar” o documento de uma forma que uma pessoa, a olho nu, não conseguiria.

“A CNH é um dos principais documentos de identificação do cidadão, que chega a substituir até mesmo a identidade e o CPF. A tecnologia do QR Code inserida na carteira de habilitação permite que todo cidadão, inclusive estabelecimentos comerciais, possa verificar a validade do documento”, enfatiza o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Elmer Vicenzi.

nova-cnh-carteira-nacional-habilitacao-qr-code-seguranca-criptogramas-2 editada.jpg“O Lince permite gerar um QR Code único para cada CNH, que não pode ser copiado, que inclui, ainda, outros artefatos de segurança. Contém a fotografia do motorista, utilizando uma solução de compressão de imagem desenvolvida no Serpro. Isso impede a fraude da troca de fotos, algo que foi identificado como um dos maiores problemas de falsificação da carteira”, ressalta Rafael Ferreira, da Superintendência de Novos Negócios da empresa. “A maioria dos QR Codes tradicionais oferece links para sites. O Lince consegue trazer os dados do motorista, sua foto, a assinatura do Denatran, toda a informação necessária para um formato que, usualmente, cabia muito pouco. O Lince, com seu conjunto de informações em um só produto, é algo único no mercado”, destaca Ronaldo Nunes, da Superintendência de Serviços e Soluções Corporativas.

Não para por aí. “Outra sacada do Lince é permitir a leitura off-line do QR Code. Há lugares no país em que não existe cobertura de internet. O agente de trânsito não pode depender disso para fazer uma blitz em uma estrada remota, pois ali pode estar ocorrendo um crime. Logo, essa leitura é primordial, e é extremamente rápida, em menos de um segundo se tem as informações disponíveis”, compartilha Ronaldo. E Rafael frisa a economia para a administração pública: “Imprimir um QR Code é infinitamente mais barato que produzir uma carteira de motorista com chip, sem contar que o fiscal precisaria ainda de um leitor de chip, toda essa cadeia seria custosa. Já com o QR Code, não precisa de nada excepcional, além de um celular”, reforça ele.

Vale reforçar que por trás do produto Lince que propicia a geração de QR Codes há ainda todo um alicerce, construído em código aberto, com criptografia e demais requisitos de confiabilidade e integridade para os dados. E a robusta ferramenta surgiu com apoio da Aceleradora Serpro – que atua para que mais ideias de negócios virem produtos, e foi elaborada por uma equipe multiárea de especialistas de Recife, Salvador e Brasília. E é esse amplo suporte de inteligência, segurança e inovação que o Serpro oferece com o Lince.

Mais facilidades

Em 1º de maio, foi impressa a primeira carteira de habilitação com, entre outras evoluções, o QR Code, um novo documento proporcionado a partir da ajuda do Lince: ferramenta divulgada em 9 de maio. “A previsão é imprimir 17 milhões de novas CNHs em 2018. No ano que vem também se inicia o QR Code no documento do carro”. adianta Ronaldo Nunes. “Futuramente, vamos desenvolver para o Denatran uma aplicação que, além da leitura off-line com o Lince embarcado, fará o acesso on-line ao banco de dados hospedado no Serpro, para obter informações extras, como irregularidades relacionadas a multas, carteira suspensa”, finaliza Rafael Ferreira.

O novo modelo com QR Code cumpre determinação da resolução 598 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e é obrigatória a partir deste mês. A medida não acarreta aumento do valor do documento para os motoristas e não exige substituição das CNHs antigas. A nova carteira será disponibilizada, apenas, para novos documentos emitidos a partir de maio e a sua substituição será necessária, somente, quando for realizada a renovação ou quando houver alteração de categoria.

Contato