Notícias

notícias

Notícia

e-GOV

Arquitetura Corporativa para Interoperabilidade é destaque em Sydney

Facin foi apresentado na reunião do SC 40/WG 1, grupo de trabalho da International Organization for Standardization, responsável por desenvolver melhores práticas para a Governança de TI
Facin
por Comunicação Institucional do Serpro — 04 de janeiro de 2019

Delegados de países como Austrália, África do Sul, EUA, Portugal, Japão, Canadá, Coreia do Sul, Irlanda e Dinamarca conheceram o histórico de evolução do Framework de Arquitetura Corporativa para Interoperabilidade no Apoio à Governança (Facin), a continuidade do projeto e os resultados no governo brasileiro. 

O evento, que ocorreu no final de novembro em Sydney, na Austrália, foi promovido pelo SC 40/WG 1, grupo de trabalho da International Organization for Standardization,  responsável por desenvolver padrões, ferramentas, estruturas, melhores práticas e documentos relacionados com o Gerenciamento e à Governança de TI, incluindo riscos, terceirização, operações e manutenção de serviços.

A próxima reunião do grupo deverá ocorrer no Brasil, por solicitação daqueles delegados, para que possam participar dos debates e contribuir com recomendações e práticas de outros países, junto ao governo brasileiro e à equipe responsável pela concepção e desenvolvimento do Facin.

Framework

O Facin tem como objetivo apoiar a colaboração entre os diversos órgãos do governo federal, melhorando a eficiência de serviços prestados mediante governo eletrônico para a sociedade em geral. Essa estrutura de trabalho, coordenada pelo Serpro, permite que órgãos públicos possuam uma mesma base para a prática da governança em suas áreas de abrangência.  A Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a Secretaria de Tecnologia da Informação, a Caixa e a Associação Brasileira de Entidades Estaduais de TIC (ABEP TI) são alguns dos orgãos que utilizam o framework.

Dessa forma, o Facin proporciona uma maior transparência e compreensão dos processos dos entes públicos por parte dos cidadãos brasileiros. Uma das características fortes do framework é possibilitar aos gestores avaliar o quanto a execução atende aos objetivos estratégicos estabelecidos, inclusive para permitir alinhamentos na operação e revisões no direcionamento.

Principais pilares do Facin

- Avaliar a aderência dos resultados à estratégia, permitindo o realinhamento sistêmico e a melhoria constante da qualidade nos resultados obtidos;
 
- Propiciar uma visão integrada da Administração Pública (governo como um todo) e uma melhor comunicação entre as partes envolvidas a partir de uma visão comum e compartilhada;

- Aumentar o compartilhamento e a reutilização de recursos, serviços e informações, a racionalidade e a economicidade;

- Propiciar o desenvolvimento e o fornecimento de serviços públicos inovadores, integrados e digitais;

- Dispor de um modelo de referência para os três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) em suas três esferas federativas (estadual, federal e municipal).

Concepção

O Framework de Arquitetura Corporativa para Interoperabilidade no Apoio à Governança vem sendo desenvolvido há quatro anos, tendo como proposta apoiar e ampliar a desburocratização, a governança, a gestão e o governo digital, promovendo a interação entre os órgãos governamentais.

A concepção do Facin é resultado da participação de especialistas e gestores de poderes e esferas de governo, da participação da alta liderança e de especialistas das principais entidades nacionais e internacionais disciplinadoras dos temas que envolvem governança, bem como de representantes da academia e cidadãos, a partir de consultas públicas.

Contato